Prefeitura de Quirinópolis
ACESSIBILIDADE MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE TAMANHO DA FONTE:
  • A+
  • A
  • A-

POSTADO EM 04 mai 2021

Saúde alerta sobre cuidados contra a Covid-19 mesmo após a vacinação

Mais de 8000 pessoas já foram vacinadas contra a Covid-19 em Quirinópolis, o que dizer que cerca de 18% da população recebeu pelo menos a primeira dose do imunizante, estando acima da média nacional, que hoje é de 14,2%. Os números revelam que o município segue no caminho certo para vencer a Covid, já que, atualmente, a vacina é a maior arma contra a doença, mas o cuidado e a prevenção devem ser mantidos como forma de restringir a circulação do vírus e o aumento de novos casos. Por isso, autoridades de saúde têm chamado a atenção da população para que, mesmo vacinados, mantenham os cuidados necessários básicos.

Como explica a coordenadora municipal do Núcleo de Imunização de Quirinópolis, Tatiane Borges Machado, “é importante esclarecer que, mesmo com a aplicação da segunda dose, os cuidados com uso de máscara, álcool, distanciamento, precisam ser respeitados, pois a vacina protege contra a doença, não contra a infecção. Ela evita que a pessoa desenvolva sintomas mais graves da doença e evolua para óbito. Por isso, é muito importante o uso de máscara, evitar aglomerações, manter o distanciamento e a higienização das mãos”.

Cuidado e atenção com os idosos
Por exemplo, mesmo os idosos institucionalizados no abrigo José Leandro Chaves, que foram os primeiros a ser imunizados em Quirinópolis, têm recebido toda atenção para evitar o contágio. Dentre as ações adotadas pela unidade, está a proibição das visitas, um cuidado fundamental, a higienização diária da sede do abrigo com álcool e água sanitária, até mesmo nos colchões que os internos utilizam. Todos são acompanhados por uma equipe médica para aferir a pressão dos internos diariamente e realizar o monitoramento da oxigenação e febre. A equipe multidisciplinar de saúde conta também com o auxílio de nutricionista, fisioterapeuta, psicóloga e técnicas de enfermagem, que auxiliam no tratamento do grupo.

Por outro lado, mostrando a eficácia da vacina, dos idosos institucionalizados que chegaram a contrair o vírus após a vacinação, apenas cinco desenvolveram sintomas da doença com necessidade de internação, dos quais 3 já receberam alta e permanecem em isolamento em uma área separada específica com toda estrutura e cuidados necessários que necessitam, 2 continuam internados na enfermaria e respondem bem ao tratamento.