Prefeitura de Quirinópolis
ACESSIBILIDADE MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE TAMANHO DA FONTE:
  • A+
  • A
  • A-

POSTADO EM 19 mar 2021 · Meio Ambiente

Reunião discute parcerias com unidade de conservação no sul do Estado

Reportagem: Comunicação Setorial|UEG

Uma reunião no último dia 25 de fevereiro entre representantes da Prefeitura de Quirinópolis, da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e da Usina Boa Vista, do Grupo São Martinho, discutiu a possibilidade de uma possível parceria com a empresa para investimento na Unidade de Conservação Refúgio da Vida Silvestre Serra da Fortaleza.

Durante o encontro, foram apresentados os projetos e os planos de trabalho da Unidade de Conservação. A ideia é que, caso se concretize a parceria, seja disponibilizado novo apoio à pesquisa na região, garantindo a preservação do meio ambiente e incentivando a sustentabilidade.  

Participaram da reunião o reitor da UEG, professor Valter Gomes Campos; o prefeito de Quirinópolis, Anderson de Paula; a secretária Municipal de Meio Ambiente, Jania Salles; o coordenador do Câmpus Sudoeste, Roberto Barcelos; os pesquisadores da UEG, Isa Lúcia, Wellington Hannibal e Raoni Guedes; representantes da Usina Boa Vista (Grupo São Martinho) – a analista de meio ambiente Gisele Arantes, assessor de meio ambiente Vitor Morilla e advogado ambiental Márcio Vanalli;  a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Semad); a subsecretária de Desenvolvimento Sustentável, Proteção Ambiental e Unidades de Conservação, Vanessa Fernanda Schmitt; e Carol Araújo, do Gabinete político e equipe.

Na ocasião, o prefeito Anderson de Paula solicitou urgência na avaliação do plano do possível convênio pela Câmara de Unidades de Conservação, ligada à Semad, e ressaltou a necessidade da sua  realização e do comprometimento de todos na busca pelo desenvolvimento sustentável no município.

 A Unidade de Conservação

Visão aérea da UC. Foto: Lucas Leão

A Unidade de Conservação Refúgio da Vida Silvestre Serra da Fortaleza, localizada em Quirinópolis, é a maior área de vegetação nativa do sul de Goiás. Ela possui aproximadamente 500 hectares, mas está inserida numa mancha contínua maior, que se aproxima a 1.000 hectares, com um mosaico de vegetação com floresta de galeria, floresta estacional e veredas.

Segundo o professor Roberto Barcelos, Unidades de Conservação são áreas que abrangem o espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo recursos hídricos e ambientes que possuem características naturais relevantes. “As UCs são legalmente instituídas pelo Poder Público – nesse caso pela Prefeitura de Quirinópolis –  com objetivos de conservação. São também soluções que proporcionam o estudo e preservação da biodiversidade de um bioma, bem como promover a proteção ambiental”, destaca.

Em 2015 foi criada a Unidade de Conservação Refugio da Vida Silvestre Serra da Fortaleza, que está dentro da categoria de Unidades de Conservação de Proteção Integral, e a conservação da natureza é seu principal objetivo.

O professor Raoni Guedes, pesquisador do Câmpus Sudoeste, explica que a Universidade Estadual de Goiás esteve envolvida nas etapas da criação, contribuindo com o levantamento rápido de informações sobre fauna e flora locais, estudos estes que evidenciaram o potencial do local para constituir uma Unidade de Conservação. Mas, de acordo com o professor, uma vez criada a UC, é necessário estabelecer as regras e normas de seu uso. Nesta categoria a exemplo, o uso é mais restrito, sendo permitido apenas o uso indireto dos recursos naturais. Estas regras de uso da UC são estipuladas pelo Plano de Manejo.

Esta segunda etapa também conta com a parceria entre a UEG Campus Sudoeste – Sede Quirinópolis e a Prefeitura de Quirinópolis. “A Prefeitura tem dado apoio logístico aos pesquisadores da Universidade e estes têm realizado campanhas envolvendo pesquisa com a mastofauna, flora e caracterização dos solos”, salienta Raoni.

No levantamento rápido foram descritas 17 espécies de samambaias e licófitas, 159 espécies de angiospermas, aproximadamente 200 espécies de aves e 17 espécies de mamíferos, dados publicados no livro Biodiversidade, Manejo e Conservação do Sul de Goiás, de Hannibal et al. 2017. “Em pesquisas recentes os pesquisadores têm observado espécies endêmicas, descritas pela primeira vez no Estado de Goiás, e até mesmo espécies novas”, diz.

Raoni lembra ainda que a Serra da Fortaleza, onde está inserida a UC Refúgio da Vida Silvestre Serra da Fortaleza, é também local onde nascentes e córregos afluentes do Ribeirão das Pedras estão presentes. “Portanto, proteger essa vegetação é uma forma de garantir a qualidade e quantidade da água para a população quirinopolina”, reforça.